quinta-feira, 7 de maio de 2009

Impressionista, de Adélia Prado.

Uma ocasião, 
meu pai pintou a casa toda 
de alaranjado brilhante. 
Por muito tempo moramos numa casa, 
como ele mesmo dizia, 
constantemente amanhecendo.  
 Homenagem a "nossa" Adélia!
Com carinho.

6 comentários:

  1. E depois falam mal do meu anjo.

    Vê se pode?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Lembrei da música Alvorada, cantada pela amiga do Fabiano...

    "Você também me lembra a alvorada, quando chega iluminando meus caminhos tão sem vida"

    Quero uma casa amanhecendo sempre, mas não só nas paredes...

    ResponderExcluir
  5. Adélia, Adélia... genial!

    ResponderExcluir
  6. Que belo!!

    espaço agradável!

    abraços

    ResponderExcluir

Comentários: